a UPP papou papai: pá-pum!

o papa Pio poupa o piu-piu
engole a gula a
guloseima
em goles

golias en
golia a
engula
enguloseima

lenguloseima lêngula
a lêngula lengolias alengula
lengoles aos goles um golinho
agolias língula golula, logulaseima
entro por um ouvido mas não
consigo sair
por favor
Picotar picolé de html alcaçuz. Zarabatanas de néctar em cima dos meus punhos
poesiapoeira
poeirume
poesinha

ambrosinha a broesia
novembrosia
mandumes de baleias
manadas de cardumes
manadumes de nada
cardunadas
Uma maçã inteira
Já está pela metade
E na terceira linha
Terminou.
só acredito
VENDO
a ave viu a vulva e voou

o uivo vivo
a alva eva
o véu é vil

o olhouvido ouvê
converso a conversão, converto
subverto
desvirtuo virtualmente tudo
a virtude
é conversível no reverso, irreversível
me divirto
verto advertências na vertigem
vertical aversão,
avesso do perverso
observo o servo reservado
rejeito o sujeito, desse jeito
ejeto o projeto objeto, injeto o dejeto

dissidente do dissídio, presidente do presídio, subsídio insidioso do assédio acidental, era acidez, incisão, rescisão do resíduo sideral
jangada de junco gingava de gim
jejum de jongo, jegue
mugia vagidos
vagia aljavas
gelava javalis
eu ouvido
tu revidas
elæ devidamente,
devidido,
dividedo -
nós duvideodamos
vós...

o profeta do prefeito

feitura pura do enfeite
infectado de defeitos "afetuosos"
- confete na confeitaria

oprimo meu primo
comprimo, reprimo
(exprimo, imprimo o comprimido)
deprimo; suprimo
consumo, eu quasi sumo
é o quasi çumo
nós quasi sumo... o quê?
- eu conçumo, tu preçumes, ele çume
- tu preZumes, com 's'
- eu açumo, tu reçume
- reZume!
- eu cumo tu comes ele recome
- eu como e recomo, me diz, como?
(interrompendo)
- olha aqui vocês vão parar com essa PALHAÇADA senão eu janto e sobremeso os dois
a poesia é a língua dos olhos nágua
o sentido na linha dágua
o sentido fora dágua

é a sede do peixe
if i tit
if i fit tiff
if it tit

if tit, fit it tiff
i f t i t f i t i t t i f f
morada da letra
só a poesia é cega
porque ceia
o inglês falhou por culpa do apóstrofe
crime das letras sem contato físico
am'or não vibra lo've lov's
eu sim tu sou ela céu
eu sol tu sal ele seu
cego do sussego ego
in sul tu sol
eu sem tu'a mão
um leão branco leitoso correndo em meio um tufão de animais leitosos mármore de vida branca quasi plantas, eu no jardim desta mansão imensíssima de que desenho os quartos; elis passão por mim eu deixo um dálmata e mais outras cair dos meus braços pa que a turba a leve rodopiando.
bate o sino, é hora, é hora d'algo
tô feito estética perto da perspectiva do estetoscópio perfeito
tu perturba a turba
percebe o sebo?
perigo do amigo não, peramigo, peraí amigo
nova barriga 30 horas
barriga que não fecha
esse é o edifício brabo
foi construído entre a fábrica de frio e o corpo do bombeiro
tinha um jardim na barriga
mas
veio o jardinheiro -
eu vomitei antes que pudesse continuar
simplex
complex

(perplex)
complexo complico
completo conflito
repleto reflito, replico
aflito eu aplico

eu aceito tu receitas
eu concebo
tu percebes
ela recebe
nós decepcionamos (eu decepo)
vós excepcionais (desta vez)
e eles,
susceptíveis que são,

não passam dessa frase

eu aplico
tu implicas
ele explica

nós complicamos
vós replicais
eles suplicam
Um homem entra, sua bota entra, a porta entra no quarto seguida de cadarços militares em estrondo, o fuzil nos meus olhos e daí à mudez absoluta enquanto ele vira e revira minha alma procurando algo e eu espreito, em fascínio, o olho negro da morte a me mirar. Ele se vai.
Corpo, usina de sangue, girando sobre suas máquinas; alimentando-as de ar e combustível, retirando-lhes a fumaça

le sang

azul é o sangue do céu
que cai em córregos e forma o mar
que sobe ao ar e engrossa e dobra
manchas amassadas de mar branco
- Este é meu cãozinho Tempo, o melhor amigo do homem.
a dúvida divide em dívidas
(doidivana dádiva vívida da vida)

vêm as dúvidas, como zumbidos
vocejando em meu entorno e a tudo levantando
lívidas, erínias, mínimas deusas diablitas
a gorgorejar o paz de esprírito

vade-rectum! lhes desinvoco
descobrir-lhes mudas ao simples
descer das pálpebras e
lavar o céu dos olhos
Surge aqui uma figura de cujo batismo eu denuncio
será assim a Etimolaria, e bem-aventurada será.

vocal

     vocação, essa
convocação, essa
  invocação provocante

coreografia

acorda
a cor
do corpo,
o acordo

recorda
a coragem
    corada
da cor

decora
o couro
do coro,
a cura e a
secura
do coração

quero a cara do carinho, o coração e o coracinho
a querida coroa, a cárie coroada, o coringa! curare